Só vendo com os próprios olhos… eu acredito!

“Aqui estou! Envia-me!”
20/11/2018
Comunidade
14/03/2019

Muitas são as afirmações que parecem verdadeiras, mas, comprovadamente, são falsas!

Você vê com seus próprios olhos o ar, a eletricidade, a pessoa de Deus? Não vê, é claro! Mas nem por isso essas coisas deixam de existir.

Conta-se que uma professora explicava aos alunos a teoria do evolucionismo dos seres existentes, ignorando o criacionismo ou a ação de Deus na criação de tudo o que há sobre a terra. Em certo momento, ela pergunta a um de seus alunos: “Joãozinho, você vê a árvore lá fora?” “Sim”, respondeu o aluno. A professora voltou a perguntar: “Você vê a grama?” E o menino respondeu prontamente: “Sim, professora”. Então a professora mandou o aluno sair da sala e pediu que ele olhasse para cima e respondesse se enxergava o céu. Joãozinho foi, olhou atentamente, entrou e disse: “Sim, professora, eu vi o céu”. Ela perguntou ainda: “E você viu Deus no céu?”. O menino respondeu que não. A professora, olhando para os demais alunos da sala, disse: “O Joãozinho não pôde ver Deus, justamente porque Deus não existe”. Nesse momento, outro aluno se levantou e pediu permissão para questioná-lo. A professora permitiu, e ele perguntou ao Joãozinho: “Você vê a grama e a árvore lá fora? Você vê o céu?” “Sim”, respondeu o Joãozinho. “Você vê o cérebro da professora?” “Não”, disse Joãozinho. “Então, todos fiquem sabendo que, de acordo com aquilo que aprendemos hoje, podemos concluir que a professora não tem cérebro”.

Conclusão correta e lógica!

A vida é sempre inovadora e tem uma série de acontecimentos reveladores que demonstram claramente o sentido criacionista do universo, fazendo-nos entender facilmente que um Ser superior foi o responsável por tudo o que existe. Este ser é Deus! E quem está acima desses questionamentos, que desça. Quem está abaixo, suba e evolua um pouco na compreensão criacionista.

A vaidade de ser o “dono da verdade” existe desde sempre. Assim crescem os vaidosos, confiando sempre em seus “botões”, expondo-se à ignorância.

Temos fortíssima convicção da deusdência como princípio de tudo, e isso não se apaga facilmente. Nenhuma verdade é definitiva e absoluta, mas, para os que creem no criacionismo, só mesmo a arrogância e a estupidez são capazes de justificar qualquer espécie de controvérsia.

Não temos como não aceitar a criação das coisas por um Ser inexplicável, todavia presente em todos os pormenores da vida. Isto para mim basta! E para você, faz sentido? Nossos valores são distorcidos e nos impedem de conhecer melhor a completa obra de Deus. Mas, assim mesmo, celebre a ousadia, comemore a imaginação, festeje a inspiração, mas curve-se diante da grandeza de Deus.

Seja coerente! Privilegie a sensatez e o bom senso! Porém, acredite mais nas coisas de Deus e menos nas coisas dos homens!

 

Cônego Pedro Paulo Scannavino

Paróquia São João Batista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *